Qual o principal motivo para ensinar Matemática?

Acho que quase todo professor de Matemática já teve a experiência de ser questionado por seus alunos sobre a importância da Matemática e sua utilidade. Eles costumam fazer perguntas deste tipo:

- Professor, para que serve toda essa Matemática que estamos estudando?

- Por que a gente tem de estudar todas essas coisas sobre triângulos, polinômios, equações, trigonometria? Afinal, de que vai me adiantar tudo isso na vida?

E o professor frequentemente se vê em dificuldades para dar respostas satisfatórias. Na verdade, essas perguntas não têm mesmo respostas fáceis nem breves. Então como responder a elas?

JUSTIFICATIVAS PARCIAIS

As razões mais frequentemente mencionadas para justificar o ensino da Matemática são as seguintes:

1ª) A Matemática é necessária em atividades práticas que envolvem aspectos quantitativos da realidade.

2ª) A Matemática é importante porque desenvolve o raciocínio lógico.

Essas razões, embora legítimas, não são a justificativa mais importante para o ensino da Matemática.

Certamente que o ensino da Matemática é justificado, em larga medida, pela riqueza dos diferentes processos de criatividade que ele exibe, proporcionando ao educando excelentes oportunidades de exercitar e desenvolver suas faculdades intelectuais. Mas

a razão mais importante para justificar o ensino da Matemática é o relevante papel que essa disciplina desempenha na construção de todo o edifício do conhecimento humano.

Desde os primórdios da civilização, o homem, como  ”ser pensante”, sempre quis entender o mundo em que vive. Será que a Terra é plana? Como se suporta? Como são seus limites últimos? A abóbada celeste é uma fronteira última, com as estrelas nela incrustadas? Por que e como alguns corpos celestes – os planetas – se deslocam erraticamente? O que existe para além dessa abóbada? Como explicar os movimentos do Sol e da Lua?

Perguntas como essas certamente atormentaram o espírito humano por muitos milênios, até que, a partir do século VI a.C, começaram a ser respondidas, e com muito sucesso. Foram ideias matemáticas simples de semelhança de figuras geométricas e proporcionalidade que permitiram aos astrônomos, já no século III a.C., calcular o tamanho da Terra, do Sol e da Lua e as distâncias a que se encontram esses astros da Terra. E a solução desses problemas mudou radicalmente a ideia do homem a respeito do mundo em que vivia.

As ideias de COPÉRNICO, GALILEU E KEPLER sobre o sistema solar, bem como os dados de observação de TYCHO BRAHE, culminaram, no século XVII, com a teoria da gravitação de Newton, que dava ao homem um novo e poderoso instrumento de interpretação do universo. Os desenvolvimentos que se seguiram, sobretudo com os trabalhos de LAPLACE ( 1749 – 1827), iriam resgatar a antiga ideia de PITÁGORAS de que ” o número é a chave para a compreensão dos fenômenos“, pois ficava agora evidente que os movimentos dos planetas obedeciam a leis matemáticas precisas. Isso teve influência decisiva no pensamento racionalista do século XVIII, portanto, nas próprias concepções filolsóficas dessa época.

Ideias sobre a constituição da matéria ocorreram na antiguidade, sendo bem conhecidas as de LEUCIPO e DEMÓCRITO, cuja eficácia só pode ser comprovada com o desenvolvimento da Química no século XIX. E novamente aqui o instrumental matemático está na base da solução dos problemas.

Já no século XX, e graças a eficazes ideias matemáticas, novamente o homem alargou as fronteiras do mundo em que vive, calculando distâncias astronômicas fantásticas e formulando teorias cosmológicas que indicam que o universo em que vivemos teve origem há uns 15 ou 20 bilhões de anos.

Mais recentemente, os avanços da Biologia Molecular, alicerçados em ideias matemáticas, abrem perspectivas de progressos até há algumas décadas nem sequer sonhados sobre os mistérios da vida, a diversidade das espécies e a engenharia genética.

Até mesmo em vários domínios da Arte, a Matemática tem tido uma influência substancial e direta, como na Arquitetura, na Escultura, na Pintura e na Música.

Na Pintura, particularmente, foi graças a ideias matemáticas de paralelismo e projeção que os pintores da Renascença criaram a ciência da Perspectiva, que lhes tornou possível retratar em sua telas uma realidade marcada por intenso humanismo.

A descoberta de que Matemática e Música estão intimamente relacionadas remonta a Pitágoras. Mas foi só no século XVIII que a teoria musical encontrou bases seguras para estruturar cientificamente; e aqui, novamente, foram ideias matemáticas que permitiram uma interpretação científica dos fenômenos sonoros.

Há um importante campo de estudos, que é domínio próprio da Matemática, conhecido como Lógica e Fundamentos, onde foram realizadas, há pouco mais de seis décadas, notáveis descobertas, que estabelecem ser inalcançável o objetivo de organizar logicamente a Matemática de forma a garantir que todas as suas proposições possam ser testadas como verdadeiras ou falsas. Em outras palavras, o edifício matemático, como resultado do trabalho humano, não tem, nem pode ter, garantida sua consistência. Isso se reflete em todo o conhecimento humano, já que a Matemática é, direta ou indiretamente, instrumento do qual dependem, para sua organização, as demais ciências, como a Física, a Química, a Biologia, A Cosmologia, etc. Em consequência, todo o conhecimento construído pelo homem está necessariamente marcado pelas limitações da própria intelectualidade. E é o próprio conhecimento humano que revela essas limitaçoes.

Esse rápido apanhado de vários exemplos serve para mostrar o quanto as “ideias matemáticas” têm estado presentes na construção de todo o edifício do conhecimento, influindo também, de maneira profunda e marcante, nas próprias concepções filosóficas do homem diante de sua existência e do mundo em que vive.

Fonte:  Retirado do artigo OBJETIVOS DO ENSINO DA MATEMÁTICA, publicado pelo  Prof. Geraldo Ávila, na RPM 27.

7 Respostas para “Qual o principal motivo para ensinar Matemática?”

  1. Thaís Bueno says:

    A fantástica matemática, ajuda de forma significante no entendimento do mundo na visão homem e consequentemente na criação também, já que criamos e imaginamos de acordo com o que conhecemos, certo? Ás vezes nem paramos para refletir sobre isso: em quantas áreas ela está presente, e é algo tão interessante, porque uma única matéria ser tão ampla e tão marcante em tudo, não é algo que estamos acostumados a ver e idealizar, não é? Gostei muito do texto.

  2. As "ideias matemáticas" estarão sempre presentes especialmente porque existem pessoas que esclarecem o verdadeiro significado dos números em nossas vidas. Se há alguém inda causa dúvidas esse processo, basta lembrar que somos guiados por números…data de nascimento…carteira de identidade…CPF…valores financeiros… calendários…serão sempre os números norteando nossos conceitos do que é viver em sociedade.

    Abraços

  3. É interessante observar que até mesmo a inconsistência da Matemática, no que se refere à sua fundamentação, influencia o conhecimento humano.

    Sou realmente encantada e grata por todas as possibilidades que essa ciência proporciona à humanidade.

    Gostei muito dos comentários: Thaís e Marcioní.

    Abraços

  4. A matemática é simplesmente fantástica!

    Amo!

  5. igor Santiago says:

    botei fé Paulo !!!

  6. João Pedro says:

    '-', É VERDADE, A GENTE SE PERGUNTA AS VEZES E NUNCA ESTAMOS SATISFEITOS COM A RESPOSTA, POR QUE FAZ A GENTE TER OUTRA PERGUNTA E AS VEZES ATÉ MAIS COMPLICADA

  7. Ou:

    • A matemática cai no vestibular.

    Apenas. :P

Deixe uma Resposta

*